Será que é a hora de migrar para o Magento 2? Você lojista, ou desenvolvedor, deve se questionar todos os dias, todas as horas, se já é a hora de você migrar para o Magento 2, ou se já é a hora de você pensar em migrar sua loja para essa nova versão.

Para Desenvolvedores

Acredito que, para o desenvolvedor, sem dúvida alguma que já passou da hora de começar a estudar. O Magento já se encontra na versão 2.3.1, no momento em que eu escrevo este artigo e essa versão é a mais estável, mesmo ainda contendo alguns bugs e falhas, é do jogo, mas não podemos nos enganar e pensar que com o Magento 1 era diferente, já que nunca houve uma visibilidade de todos os bugs, fixes e features que rolavam (por enquanto ainda rolam) para a primeira versão da plataforma plataforma, o que é possível acompanhar agora no Github oficial Magento 2.
Tanto a edição Commerce Edition quando a Open Source encontram-se atualmente na versão 2.3.1. Para desenvolvedores é extremamente importante entender a arquitetura, a estrutura, o workflow, o bootstrap e vários outros aspectos da nova versão da plataforma, sejam eles teóricos ou não, mas deixarei isso para outro post, no qual eu focarei sobre a importância do entendimento teórico e prático para ser um bom desenvolvedor em Magento 2. Sim, o spoiler aqui é que não basta apenas aprender a criar classes e módulos, é preciso ter um pouco, talvez mais do que um pouco, de embasamento teórico também.

Para Lojistas e Empreendedores

Minha maior preocupação aqui com este post são os lojistas que ainda possuem algum tipo de receio ou preconceito em relação ao Magento 2. Lojistas estes que têm medo, por algum motivo, receio de alguma coisa não funcionar ou de ficarem na mão devido a falta de profissionais qualificados. Porém eu os entendo, por que mudar um time que está ganhando, não é mesmo? A grande questão aqui é: é hora do lojista migrar sua plataforma para o Magento 2? É hora de tirar aquele projeto do papel e criar sua loja baseada no Magento 2? Será que já é a hora certa para pensar em migrar sua loja para essa nova versão?
Basicamente eu poderia listar aqui vários motivos que talvez o faça mudar de posição em relação a este medo, receio ou preconceito. Mas, antes de qualquer coisa, precisamos nos dar um pequeno tempo para uma reflexão sobre este assunto.
Você é lojista, aspirante a empreendedor, empresário ou micro-empresário que quer operar online, quer aprender sobre esse mercado tão aquecido. Eu não posso simplesmente dizer que o Magento 2 é a melhor solução para seu negócio atualmente, muito menos antes de analisar como o seu negócio funciona, seria tolice da minha parte. Existem outras formas atualmente, talvez muito mais simples, mais baratas e mais rápidas de se ter uma loja virtual e/ou operar online. Vamos falar um pouquinho de algumas delas.

SaaS – Software as a Service

Você que é aquele lojista pequeno, ou ainda não possui uma loja e está aspirando empreender online. Se você não se apegar muito a ter total domínio sobre sua loja, os aspectos dela, o que ela pode oferecer ou não, a aparência dela, UX (Experiência do Usuário), aceitar ter métodos de pagamento e entrega, por exemplo, limitados, formas limitadas de dar descontos ao seus clientes, etc. talvez essa seja uma boa opção para você. Soluções SaaS, como Shopify ou Loja Integrada, podem ser uma boa saída para você experimentar vender seus produtos online.
Porém não posso deixar de dizer que, ao fazer isso, você está aceitando colocar seu negócio online nas mão de uma empresa terceira. Seu canal de vendas online estará totalmente rendido ás regras e condições da empresa e você não terá controle sobre qualquer aspecto da sua loja virtual que não seja administrável, como clientes, pedidos, catálogos, etc. Alguns serviços permitem até que você crie um tema personalizado para sua loja virtual, consumindo serviços e endpoints de APIs para criar carrinhos e fazer checkouts, etc.
Quando você inicia uma operação baseada em uma plataforma SaaS você poderá ter uma série de problemas adicionais. Pensemos que sua operação multiplicou de tamanho em 2 anos desde que você finalmente abriu sua loja, que seu negócio aumentou e tudo está dando certo, menos a plataforma online que não está mais atendendo suas necessidade, pois agora você virou “gente grande”, agora tem um ERP e precisa fazer uma integração com seu ERP, produtos, clientes, vendas, preços, etc. Você quer dar uma experiência de usuário maior para seus clientes e criar estratégias para se posicionar nos buscadores, na primeira página do Google. Você, então, decide mudar de plataforma, seja ela qual for.
Você precisa pensar nas migrações de dados e de tudo que foi construído até então na sua atual plataforma. Você precisa migrar produtos, ok! Produtos não são tão complicados de serem migrados. Chegou a hora de migrar os clientes, 50.000 clientes na base para serem migrados e perfeitamente importados na nova plataforma. Primeira dúvida, como você vai fazer com as senhas? Hum… Os 50.000 clientes não precisar redefinir suas senhas para poder acessar suas contas na nova plataforma. Seus endereços também precisam ser migrados, não se esqueça. Ok, capengando, você consegue importar seus produtos e clientes. E quanto aos pedidos? Você precisa disponibilizar uma forma de seus clientes acessarem seus pedidos antigos, mas espera seus pedidos estão no SaaS e você vai precisar desligar a plataforma em breve, mas lembre-se, seus dados estão rendidos.
O stress de se migrar de uma plataforma SaaS pode ser realmente grande, mas este stress pode variar de um caso para outro, mas algo que, sem dúvidas, vai acontecer, é o impacto no seu negócio, talvez em toda a sua operação atual.

MarketPlaces

Entrar em marketplaces também é uma opção muito válida para você, talvez, vender mais, mas se você pretende ter sua própria identidade, com certeza não pode vender apenas por esse canal de vendas, caso contrário, ninguém vai saber quem você no mercado online. Ou vai me dizer que você lembra daquela loja da qual você comprou aquele produto recentemente pelo Mercado Livre? É bem provável que não, correto? Um outro ponto é que marketplaces também comem uma boa “fatia” do seu bolo, em torno de 10% de todo o seu faturamento por lá só de comissão de vendas. Aqui também temos o mesmo problema da plataforma SaaS seu negócio, infelizmente, está rendido. Talvez o cenário aqui seja pior, pois o cadastro dos produtos, clientes e pedidos não são de sua autoria, mas sim do MarketPlace e esse é o motivo que eu iniciei esse parágrafo dizendo “uma opção válida para você, talvez, vender mais”.
Eu não estou dizendo aqui que é ruim utilizar uma plataforma SaaS ou entrar na onda dos MarketPlaces. Só estou levantando alguns pontos que você deve considerar antes de tomar uma decisão de ir para o e-commerce e pensar em estratégias de minimizar ao máximo os impactos qualquer você pode ter ao tomar uma decisão errada.

E o Magento 2?

No segundo cenário, no qual o lojista já iniciaria sua plataforma de e-commerce utilizando o Magento, por exemplo, muitas das desvantagens citadas acima não existem, uma vez que você tem total domínio da sua plataforma. Você pode começar bem pequeno, aumentar o seu negócio com o tempo e mesmo quando seu negócio estiver inúmeras vezes maior o Magento vai te permitir rodar sua operação sem problemas, pois ele foi pensado para pequenas, médias e grandes empresas.
O Magento 2 foi desenvolvido e repensado para melhor se adaptar a um negócio e poder prover uma melhor experiência para os seus clientes e para você, lojista. Na versão do Magento 2 existem muitas vantagens em relação ao Magento 1:
  • Integração nativa com ElasticSearch
  • Integração nativa com RabbitMQ para processos assíncronos
  • Full Page Cache nativo
  • Integração nativa com Varnish Cache
  • Multi Source Inventory (múltiplos estoques)
  • PWA Studio (para tornar seu Magento 2 um app mobile)
  • Melhorias de performance
  • Melhorias de segurança
  • GraphQL nativo
  • Várias outras features serão implementadas apenas no Magento 2

Conclusão

Tudo isso sem contar que o Magento 1 possui suporte oficial da Magento apenas até junho de 2020, após isso é cada um por si em relação a suporte, manutenção e cobertura de segurança. Fora todos estes pontos, qualquer outra ferramenta que possa ajudar o mercado de e-commerce se alavancar, acelerar processo de vendas, acelerar performance, enfim, qualquer coisa desse tipo, será implementado apenas no Magento 2.
Com todos estes pontos, minha conclusão é que sim, este é um momento propício para uma possível migração caso você já possua uma loja virtual ou para pensar diretamente no Magento 2 na hora de criar sua loja online. Analise o que você busca para seu negócio e qual a sua estratégia para seu canal de vendas online para tomar a melhor decisão possível e evitar perdas desnecessárias de dinheiro, tempo e emocional se precisar consertar um erro que possa ter cometido. Tecnicamente falando, o Magento 2 já se encontra preparado para ser uma plataforma estável de produção e você pode confiar nele, pois existe toda uma comunidade por trás sempre trabalhando para prover as melhores soluções para a evolução da plataforma de e-commerce da Adobe.
Nós entendemos que muitos profissionais, lojistas não possuem uma boa referência em relação ao Magento 2, talvez por falta de conteúdo, talvez por falta de conhecimento e, caso você ainda tenha dúvidas, ou quiser entender um pouco mais sobre o Magento 2 ou tentar identificar se é o seu momento de mudar, entre em contato com a gente: contato@magedin.com. Ficaríamos muito felizes em poder lhe auxiliar nesse momento tão importante do seu e-commerce.

Posts recentes

Comentários

    Arquivos

    Categorias